Oi gente! Tudo bem com vocês? Hoje eu vim apresentar um livro para vocês (Nacional!!!)

Sinopse: "Sinopse: Um grupo de amigos, estudantes do ensino médio, encontram um livro, jamais visto até então na biblioteca de sua escola, e resolvem provar a veracidade de seu conteúdo, instruções para um ritual aparentemente inofensivo e extremamente tentador. Motivados por um histórico de bullying e a promessa de um fim definitivo para os seus problemas, Andreia, Augusto "Bolinha", Davi e Thalita partem em uma jornada sem retorno, rumo à escuridão inominável que habita em seus corações".

Vou começar a ler essa semana!! E quem já leu comenta aqui e diz o que achou <3 

Paula.

Percy Jackson e o Ladrão de Raios
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Páginas: 387
Avaliação: 5/5

Sinopse: "Primeiro volume da saga Percy Jackson e os olimpianos, O ladrão de raios esteve entre os primeiros lugares na lista das séries mais vendidas do The New York Times. O autor conjuga lendas da mitologia grega com aventuras no século XXI. Nelas, os deuses do Olimpo continuam vivos, ainda se apaixonam por mortais e geram filhos metade deuses, metade humanos, como os heróis da Grécia antiga. Marcados pelo destino, eles dificilmente passam da adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade. O garoto-problema Percy Jackson é um deles. Tem experiências estranhas em que deuses e monstros mitológicos parecem saltar das páginas dos livros direto para a sua vida. Pior que isso: algumas dessas criaturas estão bastante irritadas. Um artefato precioso foi roubado do Monte Olimpo e Percy é o principal suspeito. Para restaurar a paz, ele e seus amigos - jovens heróis modernos - terão de fazer mais do que capturar o verdadeiro ladrão: precisam elucidar uma traição mais ameaçadora que a fúria dos deuses'.

Olá! Tudo bem com vocês?

Finalmente eu li o primeiro livro da saga Percy Jackson e os Olimpianos. Eu já havia lido o segundo, mas como é uma saga fica bem estranho não é? E é claro, quem viu o filme primeiro (como eu) pensou que o livro seria igual (apesar dos filmes nunca serem completamente fiéis aos livros), mas é claro que, depois de ler o livro, nós percebemos a ENORME (eu disse ENORME) diferença com o filme, digamos que é como crepúsculo (apesar de eu amar os filmes também <3)

O livro é narrado em primeira pessoa por Perseu Jackson, ou só Percy, um garoto de 12 anos que vive entrando e sendo expulsos de internatos para crianças especiais. Ele sofre de déficit de atenção e vive com a mãe e o padrasto Gabe, que não respeita nenhum dos dois.

Na escola, Percy vive apenas com Grover, seu melhor amigo. Não vai bem em nenhuma matéria (a não ser o Latim) e ainda tem de aturar Nancy Bobofit incomodando e irritando a sua pouca paciência que resta.

Quando a Sra Dodds, uma professora do internato, se transformou em um tenebroso bicho e ameaçou Percy, as coisas começaram a mudar. A mãe de Percy decidiu levá-lo para a praia, mas lá as coisas desandaram mais ainda, muitos outros monstros como o Minotauro apareceram para tentar matar Percy, mas com a ajuda de Grover, que este tempo todo era um sátiro, conseguiu chegar a Colina meio-sangue, onde semideuses viviam e aprendiam a lutar e Percy começará a se descobrir, descobre ser acusado de um roubo do qual não cometeu, terá de descobrir quem roubou a coisa (o raio mestre de Zeus) e se descobre como um semideus, filho de Poseidon.

"Se você está lendo isso porque acha que pode ser um meio-sangue meu conselho é o seguinte: feche esse livro agora mesmo."



Como expressar tudo que senti lendo este livro? Ele é incrível!


Eu comecei a ler este livro por sugestão de uma amiga <3 Nós trocamos: Ela leu Harry Potter (meu preferido) e eu li Percy Jackson (Preferido dela) e foi a melhor coisa que poderia ter feito!

Os personagens são extremamente cativantes! O trio Annabeth, Grover e Percy são maravilhosos, cada um com um jeitinho cativante. Percy é cativante do início ao fim do livro, com seus poderes herdados de Poseidon torna as cenas mais "shows" vamos dizer assim. Annabeth, filha de Atena (minha irmã :3) é maravilhosa, com a sabedoria que herdou da mãe e Grover é claro, é aquele amigo protetor para todas as horas, que conversa e sabe dar bons conselhos e o melhor, pode dar bençãos aos animais <3 

O autor escreve de maneira clara e interage com o leitor, em alguns momentos parecia que eu estava ali, conversando com o Percy, ouvindo ele me contar como foi cada passo nessa jornada. 

Eu super recomendo este livro! E por favor, não o julguem pelo filme, posso garantir que o livro é 100% melhor que o filme, já que muitas cenas boas e divertidas não foram abordadas no filme ou foram modificadas :(

É um livro maravilhoso que me remeteu a um novo universo e ampliou meu conhecimento sobre a mitologia grega! <3


Super beijos e até o próximo post! 

Paula.

 O Orfanato da Luz
Autora: Caroline Cristine Pietrobom
Páginas: 79
Editora: Giz editorial
Avaliação: 4/5

Sinopse: "No orfanato São Bento vivem duas madres, uma família e várias crianças. Entre elas, a pequena Clarice, de apenas 7 anos, possui uma sabedoria incrível.
Quando acontece um sério acidente envolvendo uma das crianças e uma madre, Clarice revelará sua vocação e se tornará a ponte que levará todos ao despertar espiritual, revelando um segredo místico que precisa ser resgatado".

Olá! Tudo bem com vocês?

O livro o Orfanato da Luz apresenta um tema que ainda não tinha tido a oportunidade de ler, algo mais relacionado a religião, ao espiritismo.
Na história, conhecemos a protagonista Clarice, uma criança de 7 anos que vive em um orfanato. É extremamente inteligente, sábia e que lê diariamente a bíblia.

Um dia, quando as madres do orfanato decidem ir a um passeio ao zoológico (do qual Clarice se rejeita a ir), acontece uma tragédia com uma das crianças, que sente uma certa inveja de Clarice, e com uma das madres.

Com essa tragédia, Clarice acaba se aprofundando mais em ajudar as pessoas que vivem ali no orfanato a encontrar o despertar espiritual, que também afeta a madre internada no hospital e a criança que sofreu sérios danos. Assim, todos vão descobrindo quem são com a ajuda de Clarice, que vai se revelando a cada página do livro.


Para quem quer se aventurar em uma história diferente que aborda muita fé em Deus e um pouco sobre o espiritismo, esse livro é perfeito para isso.
O livro tem como personagens principais crianças! Crianças que rezam, que depositam fé nas coisas e que pensam no próximo sempre.

Clarice é uma personagem incrível, determinada, corajosa e que ajuda a todos no orfanato com suas gentilezas, já Sofia, por mais que seja apenas uma criança, se mostra mais carrancuda, demonstra ter ciúmes de tudo e de todos que se mostram melhores que ela em alguns pontos e por isso acaba pensando somente em si mesma, mas no decorrer do livro vamos ver as mudanças de Sofia.
As duas madres também são personagens cativantes! Madre Maria foi quem mais me encantou, com seu jeito dócil e fofo de ser com todas as crianças do orfanato, dando amor e carinho igual a todas. Madre Marta, carinhosa também, mas um pouco mais exigente com algumas coisas como horários e estudos.

O livro é narrado em terceira pessoa, mostrando o cotidiano das crianças e os pensamentos de Clarice e contando a vida das madres que vivem ali, como foram parar ali e porque se tornaram madres.

A impressão do livro contém letras bem grandes e torna a leitura mais rápida e a capa é muito bonita!

O livro nos mostra o poder da oração e da fé que cada um de nós tem e muita coisa sobre vidas passadas, um assunto que eu considero muito interessante e adorei a forma como foi abordado neste livro.

OBS: A resenha original se encontra no blog Intuição Literária em parceria com a editor Giz Editorial :)

Paula Nunes. 

O Lar das Crianças Peculiares 
Data de lançamento: 29 de setembro de 2016 (2h 03min)
Direção: Tim Burton
Elenco: Eva Green, Asa Butterfield, Samuel L. Jackson...
Gêneros: Aventura, Família, Fantasia
Avaliação: 4/5

Sinopse: "Após a estranha morte de seu avô (Terence Stamp), o jovem Jake (Asa Butterfield) parte com seu pai para o País de Gales. Lá ele pretende encontrar a srta. Peregrine (Eva Green), atendendo ao último pedido do avô, que lhe disse que "ela contará tudo". Só que, ao chegar, descobre que o local onde ela viveria é uma mansão em ruínas, que foi atingida por um míssil durante a Segunda Guerra Mundial. Ao investigar a área, Jake descobre que lá há uma fenda temporal, onde a srta. Peregrine vive e protege várias crianças dotadas de poderes especiais".

Olá! Tudo bem com vocês? Hoje eu trago a resenha de filme do Lar das crianças peculiares! Eu já havia lido o livro antes e tinha amado e agora tive a oportunidade de assistir ao filme e falar mais sobre ele aqui para vocês!

Depois da morte misteriosa de seu avô, Jacob e seu pai decidem embarcar em uma viagem para o País de Gales, mas não escolheram o País por ser a primeira opção, mas sim por que Jacob pretendia encontrar a srta. Peregrine que foi o último pedido de seu avô, mencionando que a srta Peregrine contaria tudo que Jacob precisava saber. 

Jacob descobre o orfanato que o avô mencionara, porém ele está acabado e não há indícios de vida no local, mas Jacob descobre uma Fenda do tempo que o leva para o orfanato onde as crianças ainda estão vivas e vivendo normalmente com a srta Peregrine, porém as crianças tem poderes especiais como flutuar, soltar fogo e invisibilidade. 

Jacob vai descobrindo o que seu avô realmente era e o que ele vem ser: Uma criança peculiar. 


Quando eu li o livro, confesso que fiquei morrendo de medo (medrosa aqui!) ainda mais por ter imagens que pareciam extremamente reais e é claro, coisas que de fato assustavam como os monstros. As sensações não mudaram quando assisti ao filme e realmente gostei do filme, por mais que tenha MUITAS diferenças com o livro. 

Diferenças: Para começar inverteram os poderes da Emma e da Olive, no livro a Olive flutua e a Emma quem pode controlar o fogo, mas no filme é ao contrário e foi bem decepcionante para mim já que estava esperando Jacob e Emma (que controla o fogo) juntos, como no livro, mas foi bem difícil aceitar que a Emma flutua e ela quem fica com o Jacob e eu fiquei o tempo todo pensando que fosse a Olive, mas a Olive é quem controla o fogo... Enfim, muita confusão!


Os personagens, com seus jeitinhos, cada um me cativou! E é claro, eu tive minha preferida e sem dúvidas foi a srta. Peregrine! É claro que, ao comparar com o livro, no filme ela é bem mais animada, bem mais carismática, mas realmente amei a personagem e como demonstra seu amor pelas crianças do orfanato. 

Enoch também foi um dos meus personagens favoritos, um personagem de Tim Burton! Com um ciúme exagerado de Jacob e é claro que o poder que ele tem é beeeem tenebroso, dar vida a qualquer coisa, seu quarto cheio de vidros com órgãos dentro. Ele transmitiu aquela "essência" Tim Burton. 

Para quem costuma segurar a plaquinha de "No livro não é assim", não vai lhe agradar muito este filme já que as diferenças são bem notáveis e em grande quantidade, várias cenas do filme em comparação com o livro foram modificadas, incluindo o final. Mas se você não dá a mínima para filmes que não tem a ver com o livro e sabe que os filmes não vão ficar igual ao livro eu super recomendo! 

Paula Nunes.

De olhos fechados
Autor (a): Lavínia Rocha
Editora: D'Plácido
Páginas: 253
Avaliação: 5/5

Sinopse: "Ignorar é a solução" foi o que pensou Cecília quando alguns papéis começaram a surgir no seu quarto, na bolsa e nos seus livros. O que seriam aquelas ameaças e informações sem nexo? Quem estaria mandando? Como se não bastasse, a cada que os lê, uma imagem passa em sua mente. Talvez isso pudesse ser menos estranho se Cecília não fosse cega desde o dia que nasceu.
Para desorganizar ainda mais sua vida, Tiago - o garoto novo da escola - começa a balançar seu coração e a faz com que sinta o que ela jamais sentiu. Sua dificuldade agora é acreditar no que sempre tentou passar às pessoas: ser cego não é sinônimo de limitação e tristeza.
Entre os desafios do dia-a-dia e da adolescência, Cecília se vê envolvida em um mistério que pode afetar sua vida e de todos os belo-horizontinos, e ela não vai descansar até descobrir - e entender - um grande segredo do passado da cidade que os livros de História jamais ousaram contar". 

Oi gente! Tudo bem com vocês? Hoje eu trago mais uma resenha do livro De olhos fechados! É o segundo livro que eu leio da autora e devo admitir que é mais um livro incrível <3 

O livro é narrado em primeira pessoa pela Cecília, uma adolescente de quinze anos que é cega, isso mesmo, nossa protagonista é cega. Por mais que Cecília tenha essa deficiência visual, ela consegue determinar as coisas pelo cheiro e é bem independente. 
Cecília começa a receber alguns papéis bege que ela não sabe como, da onde e quem os manda, com algumas ameaças e algumas pistas a seguir com lugares e frases e braile, porém ela decidi ignorar estes papéis e seguir a vida, por mais que isso acabe despertando curiosidade nela. 

Além disso, Cecília conhece o novato da escola, Thiago, que senta junto com ela na sala de aula e que começa a virar amigo de Ceci e acaba se interessando por ela, como ela também se interessa por ele (ah o amor <3). 


- Tudo bem, agora pode falar. Qual é o problema? - Luna perguntou da porta.
- Eu sou cega. 


Esse livro é autêntico, isso eu posso afirmar. Ele é único, uma leitura fofa e apaixonante, com ideias espetaculares que a autora abordou. Primeiramente, a personagem principal do livro é cega e esse é o ponto que deixa o leitor maravilhado por ser difícil encontrar um protagonista cego (este é o primeiro livro que leio com a protagonista cega!). 

No início do livro, mesmo tendo a presença dos papéis bege o livro inteiro, pensei que seria uma trama mais no estilo de extraordinário, aquele livro que mostra o cotidiano de uma pessoa cega (no caso do August, uma deformidade facial), que mostra como é difícil viver daquele jeito, como as pessoas sentem pena e coisas relacionada a isso, mas apesar de abordar um pouco disso, tem mistério e suspense no livro relacionados aos papéis bege. Realmente, no início do livro, vemos o cotidiano de Cecília que mora com seu pai e sua irmã Luna, sobre suas amizades na escola e sua melhor amiga Bianca e quando ela conhece Thiago. Mas depois disso, mostra ela desvendando o mistério dos papéis bege e por que eles estão aparecendo pra ela, então é uma mistura interessante de gêneros, romance, suspense, drama...

Em relação ao Thiago, que personagem! Please exista! Thiago é persistente em demostrar o quanto gosta de Cecília, mas ela não quer admitir que ele gosta dela e que ela sente o mesmo só por ser cega, Ceci não consegue acreditar que um menino como Thiago realmente goste dela. Mas Thiago é persistente em demostrar tudo o que sente e conquistar Cecília. 

Aliás, todos os personagens são extremamente cativantes. Luna, a irmã de Ceci é um doce, Bianca, sua melhor amiga é aquele tipo de amiga que nós queremos levar para a vida! O pai de Cecília também é maravilhoso e é legal colocar esse assunto onde o pai cuida das filhas sem a mãe, faz o papel de mãe também. Thiago, claro, é o personagem que faz nos faz apaixonarmos por ele, trata Cecília igual trata as outras pessoas e isso foi o que despertou uma alegria em Cecília e um prazer de estar em sua companhia. E é claro, Cecília! É uma personagem incrível, que se mostra super independente por mais que seja cega, dedicada, carinhosa, leitora e corajosa!!

Este livro é incrível por abordar tantos assuntos reais e também mistérios que prendem o leitor! <3 

Espero que tenham gostado da resenha de hoje! Beijos e até o próximo post!

Paula Nunes. 

Procurando Dory
Data de lançamento: 30 de junho de 2016 (1h 37min)
Direção: Andrew Stanton, Angus MacLane
Elenco: Marília Gabriela, Ellen DeGeneres, Albert Brooks mais
Gênero: Animação, Comédia
Avaliação: 5/5

Sinopse: "Um ano após ajudar Marlin (Albert Brooks) a reencontrar seu filho Nemo, Dory (Ellen DeGeneres) tem um insight e lembra de sua amada família. Com saudades, ela decide fazer de tudo para reencontrá-los e na desenfreada busca esbarra com amigos do passado e vai parar nas perigosas mãos de humanos".

Oi gente! Tudo bem com vocês? A resenha de filme de hoje é: Procurando Dory! A sequência de um dos filmes mais queridos da Pixar: Procurando Nemo <3 

O filme inicia com um flash back de Dory pequeninha, juntamente com seus pais que estão tentando ajudar Dory a lidar com sua perda de memória recente.
O filme se baseia em como Dory se perdeu da sua família e aonde eles estão. Quando Dory vai ajudar o Tio Raia nas aulas com as crianças, é arrastada por uma correnteza que lhe faz lembrar de memórias com sua família relacionadas a correnteza. 

Dory acaba lembrando de seus pais e onde ela morava com eles, e embarca em mais uma jornada juntamente com Marlin e Nemo para reencontrar seus pais depois de tanto tempo sem vê-los. 

Nessa jornada, Dory reencontra amigos que é claro, não lembrava ter e também descobre sua origem, além de fazer novas amizades como o Polvo Hank, que é um novo personagem (óbvio) no filme e que se mostrar carrancudo e impaciente no início do filme, mas depois se mostra um grande amigo de Dory.


Procurando o Nemo é uma das minhas animações preferidas e eu fiquei muito ansiosa ao descobrir que iria ter uma continuação com a Dory, mas nem imaginava o que viria e realmente me surpreendi e amei ainda mais!

Dory bebê é um amor! Sobre eu querer apertar e não largar mais? 

Os novos personagens na animação são cativantes, fofos e maravilhosos. O desenho nos remete coisas boas e nos faz querer estar sempre com a família, como mostra no primeiro, Marlin com saudades de Nemo, neste mostra Dory relembrando da família e sentindo uma saudade enorme dos momentos maravilhosos em que estava com seus pais. 



No primeiro filme, vemos um pai extremamente protetor procurando seu filho, atravessando o oceano em sua busca, e nesse é o oposto, Dory é quem busca pelos pais, mas é claro que mesmo lembrando onde eles estavam, Dory tem de enfrentar dificuldades pelo caminho, mas assim vai descobrindo coisas novas e da onde realmente veio. 

O filme é maravilhoso, cativante e fofo demais! É aquela animação pra se ver agarradinho com sua família no sofá da sala, com uma coberta bem quente e um balde cheio de pipoca! 

Bom gente, essa foi a resenha de filme de hoje!!! Espero que tenham gostado do post de hoje, até o próximo post!

Paula Nunes.

A rainha de Teraling
Autora: Erika Johansen
Editora: Suma de Letras
Páginas: 352
Avaliação: 5/5


Sinopse: "Quando a rainha Elyssa morre, a princesa Kelsea é levada para um esconderijo, onde é criada em uma cabana isolada, longe das confusões políticas e da história infeliz de Tearling, o reino que está destinada a governar. Dezenove anos depois, os membros remanescentes da Guarda da Rainha aparecem para levar a princesa de volta ao trono – mas o que Kelsea descobre ao chegar é que a fortaleza real está cercada de inimigos e nobres corruptos que adorariam vê-la morta. Mesmo sendo a rainha de direito e estando de posse da safira Tear – uma joia de imenso poder –, Kelsea nunca se sentiu mais insegura e despreparada para governar. Em seu desespero para conseguir justiça para um povo oprimido há décadas, ela desperta a fúria da Rainha Vermelha, uma poderosa feiticeira que comanda o reino vizinho, Mortmesne. Mas Kelsea é determinada e se torna cada dia mais experiente em navegar as políticas perigosas da corte. Sua jornada para salvar o reino e se tornar a rainha que deseja ser está apenas começando. Muitos mistérios, intrigas e batalhas virão antes que seu governo se torne uma lenda... ou uma tragédia."

Oi gente! Tudo bem com vocês?
O livro A Rainha de Tearling apresenta uma história medieval, onde a monarquia ainda predominava e que ocorriam muitas guerras por disputa de terras e reinos.
O livro nos apresenta Kelsea, a princesa herdeira do reino de Tearling, que até seus dezenove anos foi mantida escondida com pais adotivos em um chalé, por decisão de sua mãe, Rainha Elyssa, para que fosse educada e treinada pois precisava se tornar uma grande rainha.

Quando a Guarda da Rainha aparece no chalé onde viveu por dezenove anos para buscá-la, ela dá adeus aos seus pais adotivos e ruma, junto a guarda, para uma nova vida na Fortaleza. Mas Kelsea não imaginava que encontraria tantos inimigos querendo matá-la e tantas coisas que ainda não sabe sobre si mesma.
Kelsea se mostra ser destemida, corajosa, leal e bondosa com todos. Se surpreende ao ver seu povo na mais miserável vida e decidi por fim a esse sofrimento ao povo e se torna querida por todos antes mesmo de se sentar ao trono que se encontra ocupado por seu tio que vive luxuosamente sem se importar com o povo e só consigo mesmo.

Como se não fosse inimigos suficientes, A Rainha Vermelha, rainha do reino de Mortmesne também quer Kelsea morta, mas a rainha vermelha é uma vilã inteligente, audaciosa e que calcula como pode invadir Tearling e matar Kelsea para se livrar da princesa que todos a chamam de Rainha Verdadeira.
Vamos descobrindo magia no decorrer do livro vinda da rainha vermelha e das safiras que Kelsea carrega consigo para mostrar ser de fato a rainha de Tearling.




 Não há nenhum romance na trama, ocorre um "gostar" de Kelsea e Fetch, mas não aparece realmente se era recíproco da parte dele. O livro gira em torno de grandes rainhas e isso foi um ponto que eu achei interessante por não abordar reis que geralmente tem em livros medievais.

Os personagens são extremamente cativantes. Começando por Kelsea, ela mostra dês do início do livro ser uma pessoa corajosa, inteligente, bondosa, leal que daria sua vida pelo povo. Sua mãe, A rainha Elyssa que morrerá a alguns anos antes era vaidosa, se preocupava demais com a beleza deixando coisas realmente importantes de lado e Kelsea é o contrário da mãe, em relação a aparência, Kelsea não se considera bonita, se considera comum e predomina sempre o que vem de dentro, o caráter. Os guardas da rainha, no início do livro, devo confessar que não estava gostando de nenhum! Mas no decorrer do livro acabei gostando de todos, o mundo realmente dá voltas. Clava foi o meu preferido. Ele parecia carrancudo, enigmático e misterioso, mas se mostra fiel a Kelsea, corajoso, com habilidades fora do comum e muito leal a rainha.
Fetch, o pai dos ladrões realmente foi uma surpresa para mim, foi algo diferenciado dos livros, uma rainha gostar de um ladrão. Pareceu ser recíproco até certa parte, mas é duvidoso, pois Fetch é misterioso, não revela sentimentos, é um ladrão procurado pelo reino inteiro e que não sente dó nem piedade na hora de cometer suas crueldades.

É um livro maravilhoso, com uma narrativa clara, objetiva e uma narrativa coloquial encantadora. A autora envolve o leitor no livro, fazendo ler muito do livro todos os dias e nem percebemos quando o livro acaba de tão envolvente e quando acaba é uma sensação de: Porque eu não li mais devagar?
Confesso que fiquei confusa em relação de ser o passado, já que a era medieval já se foi, ou se é um futuro no qual as coisas relacionadas a tecnologia já aconteceram, mas se perderam em um oceano e novamente voltou essa era da fala coloquial, vestidos compridos e a monarquia.
A capa é linda, mas a impressão contém letras pequenas que dificultam na hora da leitura, mas você vai se acostumando e nem percebe depois o tamanho da fonte.

É um livro que não deixa o leitor cansado de coisas repetidas justamente por que tudo dentro da trama é uma surpresa e é aquele típico livro que faz você pedir só mais um capítulo.

A resenha original se encontra no blog Intuição Literária  em parceria com a editora Suma de Letras :) 

Paula Nunes.

Tecnologia do Blogger.