Livro: Stravaganza - Cidade das máscaras
Autor (a): Mary Hoffman 
Editora: iD
Páginas: 336
Avaliação: 3,6/ 5

Sinopse: Em um lugar muito distante, nos tempos da Renascença, um homem tira a sorte nas cartas e prevê que sua soberana está em perigo. O número 16 aparecia em todas as somas, e um caderno aparece ligando todos os sinais. Em outro plano, na Londres do século XXI, Lucien tem 16 anos e está com leucemia; para alegrar seu dia, seu pai o presenteia com um objeto muito semelhante. Mal sabe o garoto que, uma vez com esse objeto, seus sonhos poderiam trazer uma nova realidade cheia de maravilhas, mistérios e intrigas nos quais ele terá um papel fundamental.

Lucien tem leucemia e está fazendo quimioterapia para se tratar, porém está tão fraco que muitas vezes não consegue falar, então, seu pai lhe dá de presente um caderno com uma capa bem diferente para que ele possa se comunicar através da escrita. 

Ao cair no sono, ele vai para um mundo paralelo na cidade de Bellezza em Tália no século XVI, muito parecida com a bela Veneza. Ele conhece Arianna, uma jovem aventureira, que estava colocando em ação um plano arriscado planejado por mais de um ano, mas com a aparição de Lucien – na Tália chamado de Luciano – ela vê suas aspirações irem por água abaixo para ajudar o novo amigo. Ao aprender um pouco mais sobre esse novo mundo, Lucien começa a entender como funciona a arte de Stravagar.

Mary Hoffman fez um belo trabalho aos descrever a cidade de Bellezza, com suas catedrais, cores, canais, dando vida à cidade com suas próprias crenças e costumes. O jogo de palavras usado – Bellezza/Veneza, Tália/Itália, Gôndola/Mândola – confere um charme a mais na narrativa.

Narrado em terceira pessoa sob o ponto de vista de diversos personagens, o enredo é bem interessante e diversificado: viagens envolvendo tempo e espaço, romance, intrigas políticas, drama. Algumas vezes a trama é previsível, mas os personagens e suas aventuras proporcionam uma leitura leve e divertida.

Gostei da leitura, mas parece que faltou algum elemento para ligar todos os temas abordados. A escrita da Mary por vezes fica confusa e demora um pouco para o leitor se situar na trama, principalmente quando ocorre mudança repentina de narrador. Outro ponto negativo é a demora para alguma coisa acontecer, as páginas vão passando e nada de interessante acontece, apenas nos capítulos finais a leitura fica mais empolgante. O final é muito bom e deixa uma boa expectativa para o próximo volume da série.

Tirando estes pontos negativos do livro, eu realmente me senti como se estivesse dentro do livro, eu sentia o que Lucien sentia em estar na quele lugar tão diferente da Londres atual e isso me fez até sonhar que estava em Stravaganza rsrs, li o livro rápido por que é um livro que prende o leitor em querer saber o que acontece depois.

Bom, espero que tenham gostado da resenha de hoje! ^^ 


                                                   Paula.

Deixe um comentário

Tecnologia do Blogger.