Filme: Perdido em Marte
Data de lançamento 1 de outubro de 2015 (2h 24min)
Direção: Ridley Scott
Elenco: Matt Damon, Jessica Chastain, Kristen Wiig ...
Gênero: Ficção científica
Avaliação: 5/5

Sinopse: " O astronauta Mark Watney (Matt Damon) é enviado a uma missão em Marte. Após uma severa tempestade ele é dado como morto, abandonado pelos colegas e acorda sozinho no misterioso planeta com escassos suprimentos, sem saber como reencontrar os companheiros ou retornar à Terra." 

Oi gente! Tudo bem? Hoje eu vim com a resenha do filme Perdido em Marte que faz um tempinho que estreou, mas só agora eu consegui assistir haha. Mas chega de perder tempo e vamos a resenha deste filme! 

Uma equipe de astronautas norte-americanos tem uma missão comandada por Melissa Lewis no planeta vermelho: Marte, mas uma tempestade chega de surpresa e Mark Watney é dado como morto e abandonado pelos colegas astronautas que estavam na missão junto dele. Após acordar, se depara com o vermelho em sua volta e percebe que não está no nosso planeta Terra. Até que o resgate chegue ele terá que se virar em Marte por 4 anos. 

Em Marte, Mark terá de se virar mesmo, terá de fazer diversos cálculos e até plantar a própria comida e tomar muito cuidado com o ar que corre o risco de faltar. 
Ele tenta se comunicar com a NASA pela câmera da nave usando umas plaquinhas onde ele coloca números e vai decifrando com as letras que eles mandam pela câmera (isso ficou meio mal explicado, mas é melhor vocês assistirem ao filme para entender rsrs) e dessa forma ele vai se comunicando com a Nasa. 


De fato é um filme que te prende, surpreendente e muito real. Parecia mesmo que era tudo real e te prende de uma maneira que nem um sorvete de flocos te distrai deste filme. 

Um ponto super positivo no filme é o bom humor de Mark, que apesar de estar condenado a morte em um planeta onde não tem oxigênio, comida e só ele está lá sozinho, ele faz piadas com a sua situação e também grava vídeos mostrando o seu dia-a-dia em Marte e como está sobrevivendo da sua maneira. 

Outra coisa que se pode perceber é que não tem nenhum "vilão" na trama toda, podia se dizer que de início no filme o "vilão" seria o personagem interpretado por Jeff Daniels que é o diretor da NASA, mas com o decorrer da trama ele meio que deixa de ser esse "vilão", é meio confuso, mas não é um ponto que te deixa cabisbaixo e também não é um ponto negativo por que na minha opinião nem deveria mesmo ter um vilão em uma história que quer transparecer realidade e conta a história de um sobrevivente em Marte, na realidade todos devem ajudar ele a sobreviver e por isso eu achei melhor não incentivar digamos assim o personagem como um vilão. 

Quando assisti a este filme, aquela vontade de ser astronauta quando eu era criança voltou, seja por um grande fascínio pelo Universo e tudo nele, mas é praticamente impossível assistir este filme e não trazer este desejo de ser astronauta à tona, aquele desejo de ficar "voando" no espaço ou ver os outros planetas lá de cima. Também é impossível não sentir admiração pela profissão do astronauta e de todos que ajudam isso e fazem estratégias, cálculos que necessitam para ajudá-los ("A matemática e a física podem não ser útil para você que reclama dessas matérias na escola, mas são úteis para coisas realmente importantes"). Este filme trás mesmo a importância de muitas coisas. 

Por fim, recomendo este filme para TODOS! É um dos melhores filmes que assisti e quero assistir muitas e muitas mais vezes, com certeza nunca vou enjoar de ver este filme. 

Super beijos e até o próximo post! 


 

2 Comentários

  1. Oieee!

    Eu consegui ver o filme no cinema e nossa que surpresa agravável! hahahah Superou todas as expectativas e mesclou bem a ficção cientifica com humor, amei amei!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  2. Oii Joi!

    Verdade! Eu sou uma super fã do universo hahaha e esse filme me deixou feliz, superou todas as minhas expectativas também! Amei o ator também, super engraçado né? Morri rindo em algumas cenas haahahah.

    Super beijos,
    Paula Santos.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.