Livro: Cujo
Autor: Stephen King
Editora: Suma de letras
Páginas: 373
Avaliação: 5/5

Sinopse: " Nos arredores de uma pacífica cidade do Maine, um monstro está à espreita. Frank Dodd está morto e a cidade de Castle Rock pode ficar em paz novamente. O serial killer que aterrorizou o local por anos agora é apenas uma lenda urbana, usada para assustar criancinhas. 
Exceto para Tad Trenton, para quem Dodd é tudo, menos uma lenda. O espírito do assassino o observa da porta entreaberta do closet, todas as noites. 
Nos limites da cidade, Cujo - um são bernardo de noventa quilos, que pertence à família Camber - se distrai perseguindo um coelho para dentro de um buraco, onde acaba sendo mordido por um morcego raivoso. A transformação de Cujo, como ele incorpora o pior pesadelo de Tad Trenton e de sua mãe, e como destrói a vida de todos à sua volta, é o que faz deste um dos livros mais assustadores e emocionantes de Stephen King"

Oi gente! Tudo bem com vocês? Então... Eu li um livro de terror! Demorei um pouco pra ler esse livro por que não é um dos meus gêneros preferidos, isso acontece comigo, mas no decorrer de toda a história fui me envolvendo mais com os personagens e acabei entrando de vez nesta leitura. 

A trama começa nos apresentando a família Trenton, composta por pai (Vic), mãe (Donna) e um único filho de 4 anos (Tad) na década de 1970, em uma cidade chamada Castle Rock, que se concentra na zona mais rural do Maine. 
A família é aparentemente feliz, porém todas as noites quando Tad vai dormir aparece um certo monstro no seu closet querendo se aproximar dele. Esse monstro venha a ser para Tad o espírito de Frank Dodd, um ex policial que na realidade era um serial killer que matava mulheres, mas que havia morrido alguns anos antes. 

No outro lado da cidade, em uma zona mais solitária, vive a família Camber. Os Camber tem um cachorro são bernardo chamado Cujo que Joe Camber deu ao seu filho Brett quando ainda era pequeno. Cujo, um são bernardo bem treinando e obediente se distrai caçando um coelho, quando ele cai em um buraco onde encontra morcegos raivosos. Um desses morcegos morde Cujo, transferindo raiva para o cachorro. 

Quando Vic Trenton viaja por 10 dias com seu sócio Roger Breakestone para salvar a conta com a empresa de cereais Sharp, Donna e o filho Tad ficam sozinhos em casa. Donna então decidi ir ao mecânico Joe Camber com o filho arrumar o seu Corcel que está com um problema na válvula. O que os dois menos imaginariam é que Joe Camber saiu para beber umas com seu amigo Gary e sua esposa e seu filho viajaram para visitar a irmã dela, Holly. O único que ficou em casa foi o são bernardo raivoso, Cujo, que tem um único desejo depois de ter sido mordido: Matar a MULHER e o MENINO. 

O carro de Donna pifou de vez logo depois de chegar na oficina de Joe Camber e não poderá sair tão cedo por causa do cachorro que quer matar ela e seu filho. Donna se vê em dúvidas: arriscar correr até a varanda e tentar abrir a porta da casa dos Camber ou simplesmente esperar por uma pessoa que por milagre apareça na solitária rua dos Camber onde só tem a própria casa deles? 


"Você pode me sentir mais perto... Cada vez mais perto".

E se eu disser que gostei e vou ler mais livros do Stephen King vocês vão acreditar? É um livro que prende o leitor por inúmero motivos, mas o principal motivo é por ter um único capítulo! "Como eu vou parar de ler para poder dormir?" perguntava a mim mesma, "é impossível!"

A trama não envolve muita coisa sobrenatural - além do serial killer Frank Dodd - até por que poderia acontecer com qualquer um, ficar preso diante de um cachorro com raiva querendo realmente te matar e é isso que deixa o livro mais assustador, é o fato de sabermos que isso realmente pode acontecer. 

Sobre os personagens, não tive um apego maior com nenhum. Tad Trenton conseguiu a minha atenção e o meu amor como leitora, mas não que ele tenha se tornado um dos meus personagens preferidos. A grande maioria dos personagens são adultos com uma mentalidade de adolescente, como por exemplo Donna Trenton (que me despertou uma raiva que SENHOR!) é uma personagem nada cativante que mostra que para ela é péssimo ficar com uma idade mais avançada e por isso faz coisas irracionais que me arrisco em dizer que nem meninas com 15 anos fariam. 

Sobre Vic Trenton, achei o personagem muito - no linguajar brasileiro - trouxa! (nada de Harry Potter por aqui não) e ainda mais no linguajar gaúcho - "Tararaca". Não quero deixar spoilers por aqui, mas Vic Trenton é um personagem que mesmo que você repita os mesmo erros acredito que ele continuaria perdoando fácil. 

O final é surpreendente, você cogita várias possibilidades para o final, porém o que acontece é algo que ninguém vai imaginar por aqui (SEM SPOILERS AQUI, PLEASE!). 
Também nas últimas páginas tem uma entrevista com o autor sobre esta obra, como ele se baseia em seus livros e outras coisas a mais <3

Bom, está foi a resenha do livro Cujo, espero que vocês goste, um super beijos e até o próximo post!


                                                       Paula.

Deixe um comentário

Tecnologia do Blogger.